Quanto açúcar tem uma Coca-Cola?

A Coca-Cola é uma das bebidas mais populares e por isso uma das mais consumidas em todo o mundo. É saborosa, refrescante e pode ser consumida em casa, no cinema, na rua, em família. Qualquer momento pode ser um bom pretexto para beber uma Coca-Cola. Mas sabe quanto açúcar tem uma Coca-Cola?

Saber quantas saquetas de açúcar contém um copo de Coca-Cola é fundamental para se ter uma ideia de todo o açúcar que consumimos. Por isso, é importante ler rótulos e conhecer a quantidade de açúcar escondida nos alimentos, de modo a evitar a ingestão calórica passiva.

Quanto açúcar tem uma Coca-Cola?

Quanto açúcar tem a Coca-Cola?

  • A quantidade de açúcar presente num copo pequeno de Coca-Cola (2 dl) é de 24 g, que é o equivalente a 3 a 4 saquetas de açúcar ou a 7 colheres de chá de açúcar ou a 8 cubos de açúcar.
  • A quantidade de açúcar presente numa garrafa de Coca-Cola pequena (3,3 dl), como as garrafas de vidro dos cafés e restaurantes é de 40 g de açúcar ou 5 a 6 saquetas de açúcar ou 10 colheres de chá de açúcar ou 13 cubos de açúcar.
  • Os copos grandes do cinema, cujas medidas vão dos 750 ml a 1 litro de Coca Cola, contêm entre 20 a 25 saquetas ou 40 a 50 colheres de chá de açúcar.

De acordo com muitos estudos, beber duas garrafas de refrigerantes por dia conduz a um ganho de meio quilo de gordura por semana. Isso significa que ao fim de um mês vai ter 2 kg de gordura no corpo a mais, e, como não podia deixar de ser, peso a mais também na balança.

Além disso o açúcar faz mal porque está associado a problemas de saúde, como o aumento dos triglicerídeos, a obesidade, a diabetes e as doenças cardiovasculares, problemas estes que poderiam ser evitáveis se fossemos mais conscientes da quantidade de açúcar que se esconde nos alimentos.

O que acontece no corpo depois de beber uma Coca-Cola

Logo após beber uma Coca-Cola, o pâncreas começa a segregar insulina, fazendo elevar muito rapidamente os níveis de açúcar do sangue. Perante este pico de açúcar, a insulina transforma grande parte deste açúcar em gordura. E, imediatamente depois, sentimos fome e a tendência é voltar a comer algo doce. Por isso a Coca-Cola é viciante, assim como todos os refrigerantes açucarados.

Outro efeito nocivo da Coca-Cola é a cafeína, que não só estimula a insulina, mas que também faz subir a pressão arterial. Outro ponto negativo é o fósforo que contém a maioria dos refrigerantes. É um mineral necessário, no entanto, um excesso interfere na absorção de cálcio prejudicando a densidade óssea.

Que mais esconde um copo de Coca-Cola

Os efeitos nocivos da Coca-Cola e dos refrigerantes em geral influenciam as hormonas que regulam o apetite e a saciedade. Estudos descobriram que o consumo de açúcar conduz, não só a resistência à insulina, mas também diminui os “sinais” da leptina sobre o cérebro.

A leptina é uma hormona responsável de inibir o apetite e, desta maneira fazer chegar ao cérebro a sensação de saciedade. Isto não quer dizer que a obesidade seja por falta de leptina, senão que esta hormona não pode cumprir a sua função de regulação da fome e da saciedade corretamente.

Quando o corpo já não pode “ouvir” os sinais da leptina, a sensação de saciedade nunca chega ao cérebro, condição que conduz ao ganho de peso, diabetes e uma série de doenças graves que prejudicam a saúde.

São as Coca Cola light ou zero uma alternativa melhor?

Os refrigerantes light praticamente não contêm calorias, uma vez que o açúcar foi substituído por adoçantes. Optar por estas bebidas light pode, aparentemente constituir um recurso para aqueles que não querem deixar definitivamente os refrigerantes.

No entanto, os adoçantes artificiais não gozam de uma boa reputação. Podem não prejudicar a silhueta, porque não fazem engordar, porém há muita controvérsia e alguns estudos apontam que podem ser cancerígenos, embora ainda falte mais rigor científico a esse respeito.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Faça um comentário