Kefir – um alimento com muitos benefícios

O kefir é um produto lácteo fermentado, parecido ao iogurte, de consistência cremosa com um acentuado toque de acidez. É o leite fermentado mais antigo que existe. Foi descoberto há quatro mil anos e a ele é atribuído a longevidade dos povos da região do Cáucaso (Rússia, Arménia, Geórgia, Turquia). Não em vão o nome “Kefir” significa em turco, bendição.

Dizem que é graças ao kefir que há um grande número de pessoas que vivem até aos 100 anos com uma saúde invejável entre a população dessa região.

Tudo sobre o Kefir

O que é o kefir ?

O kefir é uma mistura de bactérias probióticas (do género lactobacillus) e leveduras benéficas que vivem em conjunto de forma simbiótica. Ambas produzem no leite uma dupla fermentação: a fermentação realizada pelas bactérias é ácido láctica e a fermentação realizada pelas leveduras é alcoólica. O conteúdo em álcool é praticamente imperceptível. Esta dupla fermentação é o que confere ao kefir muitos mais benefícios que o iogurte. A fermentação do iogurte é unicamente láctica.

O kefir, embora parecido ao iogurte é diferente e tem mais benefícios. O iogurte é ligeiramente sólido, enquanto que o kefir tem uma textura mais líquida. Antigamente e ainda hoje é vulgarmente conhecido como a “flor do iogurte”. Os grãos de kefir são muito parecidos a um ramo de couve flor, embora de textura mole e gelatinosa.

Benefícios do Kefir

Além de conter todas as propriedades nutritivas do leite, tem muitos benefícios para a saúde:

  • regenera a flora intestinal favorecendo o bom funcionamento do sistema digestivo
  • estimula as defesas do organismo a lutar contra as infecções causadas por vírus e bactérias
  • ajuda a prevenir alergias alimentares
  • reduz o colesterol
  • efeito preventivo frente a alguns tipos de cancro como o de cólon
  • potente depurador do organismo ao mantê-lo limpo de sustâncias tóxicas

Para além das bactérias e leveduras benéficas, também contém importantes nutrientes como proteínas, minerais (cálcio, fósforo e magnésio) e vitaminas A, C e D e sobretudo vitaminas do complexo B, (vitamina B12, B1 e biotina, e vitamina K.)

Adultos e crianças com intolerância à lactose, e que portanto, não podem tomar leite, encontram no kefir uma alternativa a este problema uma vez que o leite fermentado sofreu a descomposição da lactose, o que o torna mais assimilável e digerível. Por ser um autêntico regenerador da flora intestinal, muitos especialistas recomendam-no a quem foi submetido a um tratamento de antibióticos.

Uma dieta equilibrada deve ter uma porcentagem significativamente maior de alimentos alcalinos em comparação aos ácidos. Neste caso o kefir é alcalino, outra grande vantagem deste alimento.

Para pessoas de estômago delicado, é recomendável começar a tomá-lo em pequenas quantidades e ir aumentando pouco a pouco. Isto para evitar, o aparecimento de alguns possíveis incómodos no estômago.

Como se faz kefir?

Para fazer kefir em casa é preciso ter:

  • os grãos de kefir (normalmente são doados)
  • um recipiente de cristal com tampa hermética
  • leite
  • coador

Deita-se meio litro de leite (nem frio nem quente, deve estar à temperatura ambiente), num frasco de cristal grande de boca larga, junta-se depois os grãos de kefir (cerca de 2 colheres de sopa) e fecha-se o frasco com a tampa. Não encher o frasco, deixar um terço do frasco livre para os gases que se vão formar. Guardar no armário protegido da luz.

Pode encher o frasco, desde que não feche hermeticamente, de forma a permitir a saída dos gases. Deixe então repousar durante 24 horas a temperatura ambiente. Quando finalizado este tempo, coa-se os grãos e obtêm-se um leite cremoso, podendo ser bebido imediatamente, ou guarda-se no frigorifico durante 3 a 5 dias.

Para voltar a fazer mais, repita o mesmo processo, isto é, use o mesmo recipiente adicionando mais leite aos grãos já coados, sem necessidade de lavá-los todos os dias. Só é aconselhável lavá-los, como também o recipiente, uma vez por semana. Se algum grão adquirir uma cor amarelenta convêm deitá-lo fora, aproveitando apenas os que têm uma boa aparência.

Atenção: o recipiente, onde vai preparar o kefir, não deve ser de metal, especialmente de alumínio, porque a acidez do kefir pode fazer soltar partículas nocivas. Use um coador de plástico. É indiferente que a tampa do frasco seja de metal, porque não vai entrar em contato com o leite. É conveniente manter todos os utensílios sempre limpos e usá-los exclusivamente para esse fim.

Ao fazer kefir todos os dias, os grãos vão crescendo, pelo que deve retirar os sobrantes e doar a familiares, amigos ou a outras pessoas que desejam ter. Não devem ser comercializados.

Tempo de fermentação

O leite deve ser fermentado fora do frigorífico, a temperatura ambiente (temperatura normal de casa, nem muito quente nem muito frio). Se deixar fermentar 24 horas, o leite fermentado terá um efeito laxante, enquanto que se deixar 36 horas, não só terá um gosto mais ácido como também um efeito adstringente, ou seja produz secura no intestino. De qualquer maneira não é conveniente ultrapassar as 48 horas de fermentação.

Qual o tipo de leite a usar?

Pode-se usar qualquer variedade de leite (vaca, cabra ou ovelha), ou mesmo leite fresco (cru) sem necessidade de ferver, uma vez que o Kefir, por ser demasiado ácido, não permite o desenvolvimento de micróbios patogénicos. Pode também usar leites vegetais como o de soja.

Como conservar os grãos de kefir

Se quer estar durante algum tempo sem utilizar kefir, as várias formas de conservação dos grãos são as seguintes:

Frigorifico: quando quiser interromper a utilização desta bebida, os grãos ou a flor do iogurte podem ficar até uma semana num frasco mergulhados na mesma quantidade de leite. Depois deve coar e volte a usá-los normalmente. Para uma pausa de duas semanas, conserve os grãos em água com um pouco de açúcar. Para voltar a reanimá-los introduza-os no leite durante 24 horas, coe os grãos e deite fora o leite fermentado, volte a repetir o processo. A partir daqui já pode usar os grãos normalmente.

Congelar: lave bem os grãos com água fria e escorra sobre papel de cozinha, introduza depois num saquinho de plástico, ou envolva em filme transparente e coloque no congelador. Quando quiser voltar a usá-los, deve descongelá-los e introduzi-los num recipiente com leite durante 24 horas. O leite fermentado obtido deve deitar fora, volte a deitar mais leite, e repetia este processo todos os dias durante uma semana. Só assim os grãos ficam outra vez reanimados.

Secar (desidratar): Lave bem os grãos com água fria e depois escorra muito bem; coloque-os sobre papel de cozinha e deixe-os secar destapados num quarto bem arejado durante 3 ou 4 dias, longe do sol. Se for necessário dê a volta aos grãos para que se sequem melhor por todos os lados. O tempo de secagem depende um pouco da ventilação e da humidade do quarto. Estarão completamente secos, quando ao tocar ficam como cristalizados e sem restos de humidade.

Depois de secos guarde-os num frasco bem fechado, num lugar fresco e seco. Podem ser conservados durante 1 ano. Esta é também uma forma ideal para enviar por correio a quem deseja. Para voltar a utilizá-los deve pô-los de remolho na água durante cerca de 12 horas e depois no leite durante 24 horas, depois volte a lavá-los e deixe-os outra vez 24 horas no leite ou até ver que o leite volta a engrossar. Pode demorar muitos dias até o kefir reanimar. A partir deste processo os grão já estão outra vez “reanimados”.

O kefir ajuda a emagrecer?

O kefir, tal como o iogurte deve fazer parte de uma dieta de emagrecimento, não há razão para deixar de comer este alimento saudável. Além de ser um alimento com tantas benefícios, tem um teor alto em proteínas, o que o torna num alimento saciante. Melhor beber um copo de kefir do que sumos que são bastante calóricos.

Uma alternativa é prepará-lo com leite semi-gordo ou magro, sem adicionar açúcar. Se não gosta do sabor ácido pode preparar batidos de fruta com kefir em vez de leite; outra opção é misturar algumas colheres de sopa de flocos de aveia e tomar ao pequeno-almoço.

Qualquer que seja o uso culinário que faça do kefir, nunca deve ser aquecido, porque com o calor morrem todas as bactérias, enzimas e fermentos que possui o leite fermentado.

O kefir ao fazer parte da alimentação, também ajuda a eliminar toxinas, ao mesmo tempo que exerce um efeito estimulante no organismo; tudo isto faz do kefir um aliado das dietas de emagrecimento, como também contribui para a beleza da pele e do cabelo, que ficam com um aspecto radiante e saudável.

Valores nutricionais 

A composição nutricional do kefir feito com leite gordo, por cada 100 gramas:

Calorias – 60 kcal

Proteína – 3,4 gramas

Gordura – 3,5 gramas

Hidratos de carbono – 4 gramas

Fibra – 0 gramas

Como é o kefir do supermercado?

O kefir comprado no supermercado é produzido de uma maneira diferente e muitas vezes não contêm as bactérias de ácido láctico vivas. Por razões económicas, a indústria produz kefir com leveduras e bactérias artificiais, sendo um kefir menos saudável em comparação ao kefir feito em casa com os autênticos grãos de kefir.

O kefir fabricado industrialmente não tem os mesmos benefícios para a saúde. Além disso, o kefir industrial contém mais lactose, tornado-o menos apropriado para as pessoas com intolerância à lactose.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

5 Responses to “Kefir – um alimento com muitos benefícios”

  1. cassiano diz:

    Oi, ótimo texto. Importante notar que se coado (coador de café, por exemplo) pode-se separar o soro, que é delicioso e riquíssimo, do “cream cheese”, também delicioso quando temperado e comido com pão!

    Obrigado

  2. Isabel diz:

    Onde se encontra a flor?

  3. Maria Cacilda diz:

    Tirei minhas duvidas, gostei da matéria

  4. francisco mendes diz:

    Onde se arranja a flor? Obrigado.

Faça um comentário