Dieta sem glúten para perder peso

A última moda em dietas é a dieta sem glúten. Seguida por muitas celebridades como Oprah Winfrey, Miley Cyrus e Gwyneth Paltrow, está a arrasar por todo o mundo como forma de perder peso, ganhar energia e reduzir a barriga.

Há quem pense que fazer uma dieta sem glúten é difícil, porque ao retirar o trigo, o leque de alimentos fica bastante reduzido. Não é bem assim, existem os pseudo-cereais que não contêm glúten, como o milheto, a quinoa, amaranto, trigo sarraceno. Estes alimentos podem enriquecer a nossa alimentação, porque são bastante nutritivos, muito mais que o trigo e são alimentos que não contêm glúten.

O que é o glúten?

O glúten é uma proteína que se encontra no trigo, cevada, centeio e no malte. Esta proteína é o que dá a elasticidade e esponjosidade aos bolos e pães. No entanto, esta substância não é tolerada pelos celíacos, ou pelas pessoas com intolerância ao glúten, razão pela qual devem seguir uma dieta sem glúten para toda a vida.

Dieta sem glúten para emagrecer

Porém, nos últimos tempos esta dieta está a ganhar adeptos para perder peso, porque ao que tudo indica o glúten contribui para o aumento de peso e para a sensação de inchaço na barriga.

Emagrecer e perder barriga

O glúten até agora era visto unicamente como o inimigo das pessoas com a doença celíaca, mas nos últimos tempos passou a ser também o vilão de quem quer emagrecer. Há muitas pessoas, que não sendo celíacas apresentam também algum tipo de intolerância ao glúten que se manifesta no excesso de peso e no inchaço abdominal. Ao eliminar ou restringir o glúten da dieta, a pessoa perde peso e o volume da barriga diminui.

Nos últimos dois anos, mais de um milhão e meio de norte-americanos têm seguido dietas baseadas no corte de alimentos com glúten, o que tem levado a uma grande procura de produtos sem glúten. Atualmente existe grande variedade destes produtos à venda nos supermercados.

Têm menos calorias os alimentos sem glúten?

Muitos seguidores desta dieta pensam que os produtos sem glúten têm menos calorias que os produtos normais, mas em muitos casos estes produtos têm na sua composição um maior teor de açúcar e gordura que os produtos convencionais, como estratégica da industria alimentar, para torná-los mais apetitosos. O ideal é ler os rótulos dos produtos no supermercado.

Porquê que a dieta sem glúten faz perder peso?

Embora a dieta livre de glúten faça, em muitos casos, perder peso e barriga, e melhorar outros problemas de saúde, nem todos os médicos e nutricionistas chegaram a um consenso. Muitos especialistas e nutricionistas não atribuem a perda de peso à renuncia do glúten, mas sim, porque houve uma redução das calorias, ao haver um corte nos produtos com teores elevados de hidratos de carbono como o pão, massas, bolachas, bolos, pizzas…

Por outro lado, outros dizem que a restrição total do glúten não faz sentido ao haver outras formas, menos drásticas de perder peso, como seria banir da alimentação o consumo de hidratos de carbono refinados e privilegiar os integrais em quantidades moderadas, obtendo-se os mesmos resultados. Ao diminuir as quantidades diárias de hidratos de carbono, levaria a uma diminuição do glúten.

Qualquer que seja o seu caso, se nota que a dieta sem glúten é para si uma nova forma de perder peso ou combater o inchaço abdominal, saiba que há um sem fim de alimentos sem glúten e sem necessidade de comprar produtos sem glúten se for esse o seu desejo.

Pode até ser uma oportunidade para provar alimentos até agora desconhecidos para si. O importante é que a sua dieta seja completa e equilibrada.

Dieta sem glúten, mas saudável

Para perder peso com uma dieta sem glúten, é preciso, tal como qualquer plano de emagrecimento, prestar atenção aos alimentos mais adequados. Afinal, o mais importante, não é apenas evitar os alimentos, só pelo facto de conterem glúten, mas também porque são calóricos e não saudáveis.

Os alimentos gordurosos e açucarados devem ser evitados durante a sua dieta, mesmo que sejam alimentos sem glúten, sobretudo os refinados como massas, cereais, bolachas, bolos, farinhas, porque podem conter muito açúcar e gorduras.

A melhor aposta em qualquer dieta é privilegiar os vegetais e frutas, produtos lácteos, frutos secos, carnes magras e peixe e gorduras saudáveis. Está é a forma mais fiável para perder os quilos a mais. Conheça primeiro os alimentos que contêm glúten e evite-os.

Alimentos que contêm glúten – diga não!

  • trigo
  • cevada
  • centeio
  • aveia
  • sémola
  • trigo kamut
  • espelta
  • triticale (cereal obtido pelo cruzamento do trigo com o centeio)

Todos os produtos derivados dos cerais acima referidos contêm glúten como:

  • farinha
  • pudins
  • cereais do pequeno almoço
  • muesli
  • massas
  • pão
  • gnocchi
  • pizza
  • bolos, tortas, massa folhada
  • bolachas
  • cones de gelado
  • muitas refeições prontas
  • carne empanada (contém ou farinha ou pão ralado)
  • seitan e produtos que contêm seitan
  • cerveja e cerveja de malte

Alimentos com glúten oculto:

São alimentos industriais que encontra no supermercado e que também contêm glúten, por isso leia os rótulos.

  • carnes processadas
  • caldos concentrados
  • sopas
  • recheios
  • produtos marinados
  • temperos
  • amido ou farinha para engrossar
  • imitação de marisco
  • molhos
  • alguns chocolates
  • aromas, corantes
  • croquetes
  • algumas salsichas
  • ketchup, mostarda e temperos, como molho de soja

Alimentos que não contêm glúten – diga sim!

  • pseudo-cereais: arroz, arroz selvagem, milho, sorgo, quinoa, millet, trigo sarraceno ou trigo mourisco, amaranto e todos os produtos realizados destes pseudo-cereais (por exemplo, farinha, flocos)
  • leguminosas: feijão, grão de bico, lentilhas, ervilhas, soja
  • produtos lácteos: leite, queijos, iogurtes
  • carnes, peixe, mariscos e ovos
  • congelados que não sejam panados
  • enlatados ao natural ou com azeite/óleo
  • frutas
  • produtos hortícolas: todas as hortaliças, verduras e legumes, batata, mandioca, batata-doce…
  • farinhas: de milho, de soja, fubá, de mandioca, de arroz, de trigo sarraceno, de alfarroba…
  • amidos: amido de milho, tapioca, amido de batata, fécula de batata
  • frutos secos: nozes, amêndoas, avelãs, pinhões…
  • sementes: sementes de linhaça, gergelim, sementes de abóbora, sementes de girassol, etc.
  • castanhas e seus derivados (por exemplo, farinha de castanha)
  • farinha de teff, farinha de amendoim, farinha de cânhamo, farinha de tremoço, farinha de amêndoa
  • óleos vegetais (excepto o óleo de germe de trigo)
  • leites vegetais de soja, arroz, amêndoa…
  • coco e farinha de coco, óleo de coco, açúcar de coco
  • mel, stevia, açúcar e muitos adoçantes como xarope de bordo, xarope de agave, xarope de arroz etc.
  • especiarias puras e ervas aromáticas
  • sumos de frutas
  • cacau em pó puro
  • vinho e champanhe
  • azeite
  • manteiga e margarina
  • grãos de café ou café moído
  • chá e refrigerantes
  • sal
  • vinagre

Cuidado com as quantidades

Não é complicado seguir uma dieta sem glúten, visto que há uma grande variedade de alimentos que podem substituir perfeitamente os cereais normais. Experimente os cereais novos, os pseudocereais, mas tenha presente que se o objetivo é emagrecer dever ter cuidado com as porções dos alimentos, porque todos os alimentos têm calorias ou teores elevados de hidratos de carbono, independentemente do fato de terem ou não terem glúten.

Um regra é certa: quanto mais alimentos frescos e naturais consuma, mais probabilidades terá de não ingerir alimentos calóricos. Sendo assim, deve privilegiar os produtos hortícolas. E, se o desejo de comer pão ou massa apertar, pode sempre recorrer aos produtos sem glúten, cuja variedade é imensa. Pode encontrar-los nas prateleiras dos supermercados.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Faça um comentário