Melatonina a hormona do rejuvenescimento

Se há algo, em que todos estamos de acordo, é parar o envelhecimento. Parar, parar, não podemos, mas retrasar ou adiar, sim é possível. Além de uma dieta rica em antioxidantes e do exercício físico que visa manter o corpo em plena forma, um sono profundo e repousante é importante para rejuvenescer. A melatonina, a hormona do sono é a encarregada desse rejuvenescimento.

Dormir o suficiente é de extrema importância, porque durante a noite,  se ativa a hormona melatonina. Conhecida, também como a hormona da eterna juventude, a melatonina é uma hormona produzida pelo cérebro quando estamos a dormir. A escuridão estimula a sua produção, enquanto que, a luz do dia inibe a sua produção.

Quando cai a noite e o nossos olhos deixam de “captar” a luz do dia, a retina do olho manda estímulos à glândula pineal, que se encontra no cérebro, para assim começar a libertar gradualmente a melatonina, que foi sintetiza previamente.

Esta hormona durante o dia não se produz, porque a luz do dia impede a sua libertação, no entanto, não deixa de ser sintetizada. Os maiores picos de concentração da melatonina dá-se nos períodos de máxima escuridão, ou seja a meio da noite, começando depois a diminuir até ao inicio da manhã e, permanecendo baixa todo o dia.

O papel da melatonina no corpo

  • Esta envolvida no ritmo circadiano, ritmo biológico do corpo.
  • Regula os ciclos circadianos sono-vigília e a qualidade do sono, a recuperação do corpo durante a noite, a adaptação ao clima e às diferentes estações do ano
  • Determina o ritmo de envelhecimento do corpo. Segundo as ultimas investigações cientificas, a melatonina ingerida como suplemento nutritivo, consegue “enganar” o corpo, levando-a a “pensar” que se encontra numa etapa mais jovem, produzindo um retrocesso, ou um retraso no processo de envelhecimento, fazendo com que todos os órgãos se regenerem
  • A melatonina é um poderoso antioxidante sendo capaz de proteger os neurónios da ação agressiva dos radicais livres e, evitar a doença de Alzheimer

Está recomenda:

  • Para transtornos do sono
  • Para evitar o “jet-lag”, quando viajamos a outros países com diferentes fusos horarias, ou a quem trabalha por turnos.
  • A partir dos 40 anos com a finalidade de retrasar o processo de envelhecimento. A sua secreção declina com a idade.
  • Para fortalecer o sistema imunológico e, portanto, aumentar a resistência do corpo contra o cancro e outras doenças.

Dormir um sono profundo é necessário para estimular a glândula pineal a produzir quantidades suficientes de melatonina. Mas também, por meio da dieta podemos estimular a produção desta hormona.

Que alimentos contêm melatonina?

Os alimentos ricos em melatonina são alguns cereais como: o milho, a  aveia, a cevada, o trigo ou o arroz ; o frango e a carne de peru, as frutas como a maçã, kiwi, laranja, morango, abacaxi, bananas, cerejas e romãs; vegetais como o tomate, pimentão, espinafre, cebola ou abóbora; frutos secos como as amêndoas, nozes e avelãs; os ovos, e algumas plantas aromáticas como a hortelã, a verbena, a salva e o tomilho.

O consumos destes alimentos pode constituir uma alternativa à ingestão de um suplemento de melatonina. Porém, em alguns caso, pode não ser suficiente, surgindo a necessidade de tomar um suplemento de melatonina, que sempre é uma alternativa mais saudável, que os fármacos que crião dependência. Informe-se nas farmácias.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Faça um comentário