Castanhas – deliciosas e saudáveis

Castanhas – deliciosas e saudáveisO outono é tempo de castanhas. São deliciosas e muito saudáveis e tomadas com moderação não engordam. Na cozinha a castanha pode ser preparada, à semelhança da batata, de formas tão variadas. Além de assadas e cozidas, pode-se preparar sopas, purés e guisados, e, com a farinha de castanha, pão, bolos e biscoitos.

Pensava-se que a castanha era originária da Ásia Menor nomeadamente do Cáucaso e que tinha sido introduzida na Europa durante a época romana, no entanto, estudos atuais confirmaram que as castanhas já eram cultivadas no continente europeu no século V a.C  nomeadamente na Grécia, embora não tenha sido até cinco séculos mais tarde, quando o seu cultivo se espalhou por toda Europa. Hoje é cultivada principalmente nos países quentes do Mediterrâneo, como Itália, Portugal, Espanha, França e Turquia.

Castanhas – o “pão dos pobres”

Em outras épocas, muito antes da chegada da batata e do milho à Europa, a castanha foi para uma grande parte da população um alimento que lhes salvou da fome. Por isso, não admira que a castanha era então referida como o “pão dos pobres”, e dizia-se que um castanheiro por pessoa era suficiente para passar o inverno. Para além de comer-se tal qual eram recolhidas do Castanheiro, da castanha também faziam-se alimentos à base de castanhas, como a farinha e o pão de castanha.

A castanha – um alimento perfeito

As castanhas contêm uma enorme variedade de nutrientes: hidratos de carbono, proteínas, fibra, bem como vários minerais e vitaminas. Graças aos hidratos de carbono complexos, estes garantem que o açúcar no sangue, após a refeição, suba lentamente e permaneça estável durante muito tempo. O que é particularmente interessante para evitar, logo após comer, os repentinos “ataques de fome” – como normalmente acontece com as refeições ricas em hidratos de carbono refinados.

Por esse motivo faz sentido que as castanhas continuem a fazer parte de uma dieta equilibrada e saudável.

Castanhas – deliciosas e saudáveis

As castanhas, além de deliciosas, contém vitaminas importantes, como beta caroteno, vitamina C e uma proporção considerável de vitaminas do complexo B (B1, B2, B3 e B6) ideais para fortalecer os nervos e combater o esgotamento físico e mental. Por isso a medicina natural recomenda comer castanhas às pessoas que sofrem de esgotamento físico e nervoso, fraqueza e anemia.

A quantidade elevada de vitamina C das castanhass ajuda a fortalecer o sistema imunitário, protegendo-nos das infecções e inflamação, ao mesmo tempo que mantém a pele e as articulações em bom estado.

As castanhas também são ricas em minerais como o ferro, cálcio e fósforo e contêm mais potássio do que qualquer outro fruto seco. A concentração elevada de potássio (707 mg /100 g) ajuda a regular a pressão arterial, o que é muito favorável em casos de tensão alta e na retenção de líquidos, dado que o potássio ajuda a neutralizar o excesso de sódio no corpo, eliminando-o através dos rins.

Além de rica em vitaminas e minerais as castanhas contêm muitos fitonutrientes, nomeadamente os flavonóides e lignanas, que são substâncias antioxidantes que protegem as células dos radicais livres, reduzindo  o risco de morte por doença cardiovascular, bem como o aparecimento de alguns tipos de cancro.

As castanhas engordam?

Há muitas maneiras de que as castanhas façam parte da sua dieta sem a preocupação de que possam engordar. No entanto, e apesar de terem menos calorias do que os frutos secos, não deixam de ser calóricas. Quando consumidas em demasia, obviamente que engordam. Para ter uma ideia 100 gramas de castanhas fornecem cerca de 220 calorias e 46 g de hidratos de carbono. Por isso, numa dieta de emagrecimento, este facto deve ser considerado e a solução passa por comê-las ou, em substituição de uma refeição completa, ou como acompanhamento, substituindo o arroz,  massa, batatas ou leguminosas (lentilhas, feijões, grão-de bico) e não como um petisco depois do almoço ou jantar.

Outra vantagem é o teor alto em fibras, devido ao efeito de saciedade que provoca, levando portanto a comer menos na refeições posteriores. Em momentos de stresse e raiva, faça um lanche de castanhas em vez de chocolate. É muito mais saudável e são deliciosas.

As castanhas, para além de todos os benefícios para a saúde, não contêm glúten e como tal são adequadas para as pessoas com a doença celíaca ou para quem tem sensibilidade ao glúten, ou simplesmente para quem segue uma dieta sem glúten.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Faça um comentário