A Dieta Montignac

Para quem quer emagrecer sem ter de contar calorias, a dieta Montignac, criada pelo francês Michel Montignac, apresenta-se como um método que promete perder 1 a 2 quilos por semana sem passar fome. Ao contrário das dietas tradicionais que exigem um regime baixo em calorias, toda a importância da dieta Montignac recai sobre os hidratos de carbono. Saber escolhê-los é fundamental para que a dieta tenha efeitos imediatos.A Dieta MontignacEsta dieta procura, de acordo com o seu índice glicémico, distinguir os hidratos de carbono “bons” dos “maus”. Sendo assim os hidratos de carbono “maus” são os que têm um índice glicémico alto e os bons” são os que tem um índice glicémico baixo.

Os hidratos de carbono maus quando são ingeridos provocam o aumento do açúcar do sangue (glicémia), são eles o açúcar de mesa e todos os alimentos que o contêm como bolos, doces, bolachas, alimentos refinados como o arroz branco as massas brancas, a batata, o milho, as farinhas brancas, ou também alimentos que foram submetidos a uma cozedura excessiva, é o caso das lentilhas que embora tenham um índice glicémico baixo, quando cozidas em excesso, passam a ter um índice glicémico elevado, o mesmo se aplica à massa que sempre deve ser cozida al dente para não aumentar o seu índice glicémico.

Os hidratos de carbono bons são os que provocam um aumento muito reduzido da glicose, são eles os cereais integrais completos, o arroz integral, as massas integrais, o pão integral, as leguminosas (lentilhas, feijão, grão de bico), a maioria das frutas e todas as hortaliças, como o alho francês, a couve, os bróculos, todo o tipo de alfaces, o feijão verde, tomates, cenoura crua etc… São, em termos práticos, alimentos que não engordam.

Regra de ouro da dieta Montignac

Segundo a dieta Montignac a razão principal do aumento de peso é devido à ingestão dos hidratos de carbono com índices glicémicos elevados. Estes alimentos fazem subir o açúcar do sangue, levando o corpo a secretar muita insulina. Quanto mais brancos e refinados sejam os alimentos, maior é o seu índice glicémico e mais elevada será também a resposta insulínica. O excesso de insulina faz com que o açúcar se armazene em forma de gordura.

Para emagrecer, a regra de ouro desta dieta reside em comer alimentos que tenham um índice glicémico o mais baixo possível, de 35 ou inferior. Já para quem quer manter o peso, ou quer perder só alguns quilos, pode comer carboidratos com um IG até 50, mas não superior.

Para ter uma boa saúde é aconselhável escolher proteínas magras e sem gordura saturada e dar prioridade às gorduras poliinsaturadas como os ómega-3 que se encontram nos peixes azuis (salmão, cavala, atum, sardinha, anchova…) e gorduras monoinsaturadas como o azeite e a pera abacate.

A dieta divide-se em dois fases: a Fase I para perder peso rapidamente e a Fase II para o controlo do peso.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

2 Responses to “A Dieta Montignac”

  1. luis feijao diz:

    farinha de arroz tem alto indece glicemico ??????? nao é o q diz a literatura sobre o produto! muitissimo pelo contrario . A ausencia de Gluten faz da farinha um produto de baixo indice glicemo…por favor me corrijam, ou corrijam o texto….abs

  2. Paula diz:

    Todas as farinhas têm um alto índice glicémico, e que aumenta quando são misturadas com água e cozidas. O facto de não ter gluten torna a farinha de arroz apta a ser consumida por doentes celíacos, mas o gluten em si não é o responsável pelo índice glicemico da farinha de trigo, já que é uma proteína…

Faça um comentário